Cotidiano

Bahia quebra tabu e bate o Vitória debaixo de chuva na Fonte Nova

A chuva castigou Salvador nesta quarta-feira, mas não foi o suficiente para afastar os torcedores de Vitória e Bahia para o sexto clássico da temporada. Na Arena Fonte Nova, o Tricolor de Aço, mandante de jogo, não decepcionou e conseguiu quebrar um tabu de quase dez anos: desde 2004, o time comandado por Cristovam Borges […]

Arquivo Publicado em 10/10/2013, às 01h28

None

A chuva castigou Salvador nesta quarta-feira, mas não foi o suficiente para afastar os torcedores de Vitória e Bahia para o sexto clássico da temporada. Na Arena Fonte Nova, o Tricolor de Aço, mandante de jogo, não decepcionou e conseguiu quebrar um tabu de quase dez anos: desde 2004, o time comandado por Cristovam Borges não vencia o rival em seu estádio, mas, nesta quarta-feira, garantiu o triunfo por 2 a 0.

Para chegar a importante vitória no clássico estadual, o Bahia abriu o placar no início do primeiro tempo, com o volante Rafael Miranda, que aproveitou a cobrança de escanteio e desviou de cabeça. Minutos depois, Fernandão ficou livre dentro da área e deu números finais ao jogo na Arena Fonte Nova.

Com o triunfo, o Bahia se afasta da zona de rebaixamento e tem mais tranquilidade para as próximas rodadas. O Tricolor de Aço chega aos 36 pontos, encostando justamente no Vitória, que tem um a mais e fica mais distante da zona de classificação para a Libertadores.

Após o revés desta quarta-feira, o Vitória abre a 28ª rodada do Campeonato Brasileiro neste sábado. Às 18h30 9de Brasília), o time rubro-negro recebe o Coritiba, no Barradão. O Bahia, por sua vez, para manter sua recuperação na competição, visita o Goiás, no domingo, às 18h30.

O jogo – Devido ao mau tempo e ao trânsito de Salvador, o Vitória chegou à Arena Fonte Nova apenas às 20h35. O pouco tempo de preparação, no entanto, não desmotivou o time rubro-negro no início do clássico baiano. Logo nos primeiros minutos, o Leão da Barra pressionou o Bahia no campo de ataque, mas teve dificuldades para chegar com clareza ao gol adversário.

O Tricolor de Aço, por sua vez, preferiu apostar nos contra-ataques, explorando a velocidade de William Barbio, que ganhava espaço nas costas da marcação de Juan. Mesmo sem ficar mais tempo no ataque, foi o Bahia que teve a estratégia mais bem sucedida e quase abriu o placar com Fernandão, de cabeça, após um bom cruzamento para a área.

Aos 16 minutos do primeiro tempo, no entanto, o Tricolor inaugurou o marcador. Wallyson cobrou o escanteio com perfeição para a pequena área, Rafael Mirando apareceu entre os zagueiros do Vitória, e desviou de cabeça, sem dar chances ao goleiro Wilson. Era a festa do torcedor tricolor, que, como mandante, era maioria no estádio.

Com a desvantagem no marcador, o Vitória ensaiou uma reação, voltou a ficar no campo de ataque, priorizando o toque de bola, mas a objetividade do Bahia, mais uma vez, deu resultado. Sem consistência defensiva, o Leão da Barra seguiu dando muitos espaços para as rápidas descidas do rival e viu o time tricolor fazer o segundo sem dificuldades.

Depois de roubar a bola na defesa, aos 25 minutos, Wallyson deu lindo passe para William Barbio na ponta direita. O atacante chegou batendo cruzado e o goleiro Wilson espalmou para o meia. No rebote, porém, Fernandão apareceu livre na área, emendou o chute de esquerda e ampliou a vantagem do Bahia na Fonte Nova.

Na volta do intervalo, o treinador Ney Franco mexeu na sua equipe, tentando deixar o Vitória mais ofensivo com o atacante Alemão, mas a postura do time rubro-negro mostrava que seria difícil diminuir a vantagem. Sem organização, o Leão da Barra até ensaiou uma pressão, mas logo viu o Bahia tomar as rédeas da partida com facilidade.

Desta forma, a única chance efetiva do Vitória que levou perigo ao gol de Marcelo Lomba foi em uma jogada individual de Alemão. O atacante limpou dois zagueiros e carimbou a trave do goleiro baiano. Apesar deste susto, o Bahia trocou passes com tranquilidade ao longo da segunda etapa e administrou o resultado para garantir a vitória no clássico estadual.

Jornal Midiamax