Cotidiano

Novas regras sobre tapa-buraco devem sair na próxima segunda diz secretário

O prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB) suspendeu ontem quinta-feira (23), a operação do tapa-buracos após constatar irregulares no serviço na Capital. O secretário municipal de Governo Rodrigo Aquino, disse que novas regras serão providenciadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seintrha).  Essas regras serão anunciadas na próxima segu...

Arquivo Publicado em 24/06/2011, às 12h37

None

O prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB) suspendeu ontem quinta-feira (23), a operação do tapa-buracos após constatar irregulares no serviço na Capital. O secretário municipal de Governo Rodrigo Aquino, disse que novas regras serão providenciadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seintrha). 

Essas regras serão anunciadas na próxima segunda-feira (27) de como irá funcionar e como será feito o serviço do tapa-buracos.
Esta determinação partiu depois que foram feitas denúncias de que supostos trabalhos estariam sendo realizados em ruas que a principio estavam em boas condições e não necessitariam de reparos. 
Os vereadores da Câmara Municipal chegaram a realizar uma audiência pública para questionar o secretário de Meio Ambiente e Controle Urbanístico, Marcos Cristaldo sobre a qualidade dos serviços. 
O secretário disse que por dia são 50 pedidos para consertos em ruas da Capital. E que por sua vez, a prefeitura realiza por dia duas mil operações para tapar os buracos. Ainda segundo Cristaldo viu algumas imperfeições em alguns bairros e decidiu mandar refazê-las. 
Para tomar esta decisão o prefeito foi ao bairro Parati, onde acontecia uma operação e após vistoriar viu que havia irregularidades no pavimento, e por isto os serviços foram suspensos. A própria empreiteira também já passou por punição por cobrir trechos aonde não havia determinação. 
Há denúncias que funcionários colocaram lama asfáltica sobre uma tampa das saídas de esgoto no bairro Talismã. Enquanto os serviços isso estão paralisados e a população deve aguardar a nova decisão.
Jornal Midiamax