Cotidiano

Chuva intensa provoca remoção de famílias em Corumbá

Pelo menos três casas foram interditadas pela Gerência de Defesa Civil após a forte chuva desta segunda-feira, 28 de fevereiro. Os imóveis não ofereciam condições de segurança para os moradores. As unidades interditadas ficam na Alameda Tamengo e na região da Cacimba da Saúde, todas no bairro Cervejaria. Nas casas interditadas, a vistoria constatou “pequenos […]

Arquivo Publicado em 01/03/2011, às 01h26

None
1783364348.jpg

Pelo menos três casas foram interditadas pela Gerência de Defesa Civil após a forte chuva desta segunda-feira, 28 de fevereiro. Os imóveis não ofereciam condições de segurança para os moradores. As unidades interditadas ficam na Alameda Tamengo e na região da Cacimba da Saúde, todas no bairro Cervejaria.


Nas casas interditadas, a vistoria constatou “pequenos deslizamentos de terra”, informou o gerente de Defesa Civil, tenente-bombeiro Isaque do Nascimento. A fiscalização percorreu toda a orla portuária – da Cervejaria até a ladeira Dona Emília – e identificou seis pontos de deslize de terra, em níveis iniciais.


As famílias moradoras nos imóveis interditados vão contar com assistência da Prefeitura, antecipou o tenente. “Se elas não tiverem familiares para hospedá-las, vamos viabilizar alojamento em casas de acolhimento”.


As equipes da Defesa Civil ainda constataram que em uma casa na Alameda Tamengo, a queda de um muro localizado na parte alta causou deslizamento de terra, atingindo imóveis imediatamente abaixo.


“São seis residências. Dessas, três apresentaram riscos iminentes e foram interditadas. Outras três estão sendo monitoradas. Já conversamos com as famílias, explicando sobre a necessidade de remoção”, disse o tenente, para a Assessoria de Comunicação Institucional.


Uma das pessoas que terão que deixar o local é o autônomo Neilton do Carmo, 35 anos. Sua casa foi atingida pelo deslizamento. “Dias atrás desceu um pouco de terra. Nesta noite caiu mais, atingindo a parte de trás da minha casa”, afirmou, após o susto. Antes de ter seu imóvel interditado, ele planejava construir um muro de contenção.


160 milímetros


Equipes da Prefeitura, juntamente com militares do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, percorreram, durante toda a segunda-feira, os bairros de Corumbá verificando os estragos causados pela chuva. A informação foi passada pelo secretário Municipal de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, Ricardo Ametlla. Ele disse que foram executadas ações de desbloqueio de bocas de lobo e limpezas de galerias de águas pluviais.


Segundo Ametlla, os pontos de inundação já são “conhecidos” e terão solução com a conclusão das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC1), como no bairro Centro América; Maria Leite e Aeroporto.


O Corpo de Bombeiros registrou pelo menos 45 pontos de alagamento na cidade. A chuva que começou a cair em Corumbá no final da noite de domingo, 27 de fevereiro, atingiu, até 16 horas desta segunda-feira, dia 28, volume de 160 milímetros cúbicos, segundo a estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Jornal Midiamax