Sete torcedores do Corinthians morreram em um acidente de trânsito envolvendo um ônibus na madrugada deste domingo, 20. O veículo transportava torcedores do clube, que retornavam de uma viagem para Belo Horizonte, onde foram acompanhar a partida entre Corinthians e Cruzeiro, na noite de sábado, 19, no Mineirão.

O capotamento ocorreu entre as cidades mineiras de Brumadinho e Igarapé – na região metropolitana de Belo Horizonte. Dezenas de passageiros receberam atendimentos em centros de saúde de Minas Gerais. Inicialmente, o Corpo de Bombeiros informou que oito pessoas tinham morrido. A informação foi corrigida e o número de vítimas fatais caiu para sete.

De acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a viagem era irregular, uma vez que o ônibus não tinha registro, nem autorização da agência responsável pela fiscalização do setor.

Veja abaixo o que se sabe sobre o acidente até agora.

Quantos passageiros o ônibus levava?

Segundo um comunicado da concessionária responsável pela via, a Arteris, o ônibus transportava 43 pessoas. Corinthians e Cruzeiro se enfrentarem na noite de sábado, 19, no Mineirão. Segundo o clube, o veículo trazia de volta para São Paulo torcedores das cidades de Taubaté, São José dos Campos, Jacareí, Pindamonhangaba e Caçapava. Eles tinham alugado um ônibus para ir até Belo Horizonte apoiar o time.

Qual o estado de saúde dos sobreviventes?

Até agora, entre as 43 pessoas do ônibus, 9 recusaram atendimento médico e 27 foram conduzidas por unidades de resgate do Corpo de Bombeiros, Arteris e da Polícia Militar.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, também informaram que as vítimas foram encaminhadas ao Hospital Regional de Betim, à Unidade de Pronto Atendimento de Oliveira, e o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Duas vítimas foram para o Hospital Municipal de Contagem, mas foram transferidas para Betim.

A prefeitura de Betim informou que 17 vítimas foram encaminhadas para o Hospital Público Regional. Dessas, cinco receberam alta e uma, que apresentava quadro leve, optou por deixar a unidade. Um dos pacientes está em estado grave e os demais apresentam quadro estável.

Outras sete vítimas foram encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte. Entre elas, seis já receberam alta. Uma foi transferida no início desta tarde ao Hospital Regional para a realização de exames complementares. O quadro de saúde dela permanece estável.

A outra vítima que havia sido encaminhada à UPA Teresópolis também foi transferida, nesta tarde, para o Hospital Regional para passar por exames complementares. O quadro de saúde desse paciente também segue estável. As informações detalhadas sobre o estado de saúde dos pacientes estão sendo repassadas diretamente aos familiares, informou a Prefeitura.

Como ocorreu o capotamento do ônibus com corintianos?

O ônibus teria adentrado uma curva, colidiu com o talude (inclinação na superfície lateral para promover a estabilidade do terreno) e, na sequência, tombou.

Relatos publicados nas redes sociais dão conta de que o ônibus perdeu o freio momentos antes do acidente. Segundo os depoimentos, ao perceber a ausência do freio, o motorista desviar de um outro veículo – um caminhão ou um ônibus, os relatos divergem – e acabou direcionando o ônibus para uma ribanceira.

Onde foi o acidente?

O ônibus se acidentou na Rodovia Fernão Dias (BR-381), na altura do km 525,4, na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais. O veículo voltava de Belo Horizonte, onde o Corinthians enfrentou o Cruzeiro na noite de sábado, 19.

O trecho da Fernão Dias onde aconteceu o acidente é considerado de risco pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Cerca de 74 acidentes ocorrem por ano entre os kms 520 e 530 da rodovia, de acordo com dados da base pública da PRF, tabulados pelo Estadão. A reportagem observou a evolução de acidentes no trecho entre 2020 e 2023. No caso deste ano, a tabela apresenta informações até final de julho.

Segundo o levantamento, nesse período de quase quatro anos, 334 veículos, com 527 pessoas, estiveram envolvidos em acidentes entre os kms 520 e 530. Desse total, 18 evoluíram a óbito e 264 ficaram feridos. (COLABORARAM DANIEL HAIDAR, LEON FERRARI E ROBERTA JANSEN)