Padre se recusa a ‘dar benção’ após ver que cães são pajens em casamento: 'é o cúmulo'

O casal apenas assinou o livro e deixou o local, sem a bênção final do religioso
| 20/05/2022
- 15:12
Padre se recusa a ‘dar benção’ após ver que cães são pajens em casamento: 'é o cúmulo'
(Foto: reprodução)

Pensando em inovar em um dos momentos mais esperados de um casamento, a troca de alianças, um colocou dois cãezinhos como pajem. A atitude, porém, não agradou o padre da cerimônia, e ele se recusou a dar a bênção no casamento que aconteceu em Nova Olinda, no Ceará.

Antônio Eliwelton da Silva e Brenda Jamille escolheram os pets “Scooby” e “Pipoca” para carregarem as alianças até o altar. Em entrevista ao portal UOL, a noiva explicou que o padre mostrou incômodo assim que avistou os animais adentrando a igreja. Logo que avistou os animais, ele encerrou a cerimônia sem os versos finais tradicionais de “pode beijar a noiva”. O casal apenas assinou o livro e deixou o local, sem a bênção final do religioso.

Brenda admitiu ter sentido “muita tristeza” com a atitude do padre, que teria escancarado sua opinião sobre a entrada dos animais. “Isso é o cúmulo, dois animais entrando na igreja com as alianças. É inadmissível", disse ele, segundo a noiva.

Apesar do posicionamento do religioso, Brenda garantiu que recebeu autorização da secretaria paroquial para levar os animais. "Apenas assinamos o livro e ele deu as costas. Nos sentimos envergonhados, fracos, não tivemos ação nem de reagir na hora", contou a mulher.

Brenda afirmou que chegou a procurar o padre César para conversar durante a semana, mas que a paroquial estava fechada

Motivo da escolha

O casal é proprietário há quase quatro anos do Instituto Lilica, uma instituição que cuida de 130 cachorros e 40 gatos. Scooby e Pipoca, que levaram as alianças no dia do casamento, receberam cuidados da instituição. Os dois animais foram recuperados após maus-tratos e atropelamentos e ambos têm deficiências: Pipoca é cega e Scooby só anda com três patas.

Nota do instituto

Veja também

As informações podem embasar um pedido para anular as provas obtidas a partir das buscas na operação

Últimas notícias