Equipe de bobsled do Brasil encerra treinos oficiais e está preparada para a estreia

Equipe formada por Edson Bindilatti, Edson Martins, Erick Viana e Rafael Souza, além de Jefferson Sabino como reserva, sonha alto
| 18/02/2022
- 15:02
Equipe de bobsled do Brasil encerra treinos oficiais e está preparada para a estreia
Foto: Reprodução

Com evolução constante nos treinos oficiais, o quarteto brasileiro do bobsled está preparado para a estreia nos Jogos Olímpicos de Pequim-2022, na China. Tanto que até abriu mão da sexta descida a que teria nesta sexta-feira para o início da competição neste sábado — serão duas descidas no primeiro dia. A equipe formada por Edson Bindilatti, Edson Martins, Erick Viana e Rafael Souza, além de Jefferson Sabino como reserva, sonha alto na despedida do piloto do trenó como atleta de alto rendimento.

"Depois de finalizarmos os treinos, objetivo segue o mesmo, é pegar a final. E se conseguirmos, já vai ser histórico pro bobsled do Brasil. Vamos sair daqui com a sensação de dever cumprido por todo o trabalho que fizemos ao longo desses quatro anos", comentou Bindilatti.

"Conseguimos fazer um push forte hoje (sexta-feira), caprichar na pilotagem, pra gente poder descansar um pouquinho mais. Não teve intervalo entre a disputa do 2-man e os treinos do 4-man. Então, achamos prudente deixar os atletas descansarem, passar na fisioterapia para o Ronaldo (Aguiar) fazer a soltura da musculatura e preparar para amanhã dar tudo na competição", contou.

Os treinos oficiais confirmam que ter participado da competição de 2-man (trenó com dois atletas) foi muito importante para buscar um melhor desempenho no quarteto. As posições finais foram evoluindo a cada descida. No primeiro dia de treinos oficiais, o Brasil ficou em 26.º lugar com o tempo de 1min00s81 na primeira descida, e em 24.º na segunda, marcando 1min00s57. A terceira descida rendeu o 23.º lugar (1min00s12) e a quarta, o 19.º (1min00s32). Fechando o período pré-competição, o 18.º melhor tempo na quinta descida com o melhor desempenho até então: 1min00s09.

"Foi uma evolução bem grande desde o primeiro dia. Tivemos uma boa preparação no 2-man, na pilotagem. No 4-man, conseguimos ter uma pressão maior nas curvas, ter o trenó mais na mão. Esse último treino foi fantástico em termos de pilotagem e push. E ainda não estamos com a lâmina de competição. Sabemos que todos os times vão vir fortes porque estão todos bem preparados, mas hoje vimos que estamos igualmente preparados. Vamos dar o nosso melhor", disse Bindilatti.

O bobsled é considerado a Fórmula 1 dos esportes de inverno porque o carrinho com quatro integrantes pode ultrapassar 150km/h. E o Brasil já não pode mais ser considerado um estranho no esporte. O país esteve representado na modalidade em cinco Jogos Olímpicos: 27.º em Salt Lake City-2002; 25.º em Turim-2006; 28.º em Sochi-2014; e 23.º em Pyeongchang-2018, o melhor desempenho em termos de posição final até o momento. Para chegar à final em Pequim-2022, os brasileiros, comandados pelo técnico Bryan Berghorn, precisam ficar entre os 20 melhores.

"O time está completamente motivado, empolgado. Os cinco estão com muita vontade. Os homens estão parecendo aqueles cavalos selvagens presos querendo ir para o campo como vemos nos filmes", contou, rindo, Bindilatti. "A torcida do Brasil pode ter certeza que vamos dar tudo para fazer um grande desempenho", completou.

O palco da modalidade é o Centro de Nacional de Esportes de Pista, em Yanqing. Serão duas descidas no percurso que tem 1,9 km, com 16 curvas com diferentes ângulos e inclinações no primeiro dia de provas. No dia seguinte haverá uma terceira e, se ficar entre os 20 melhores, descerão para a quarta e definitiva bateria.

Veja também

Em 2020, 599 crianças nessa faixa etária morreram vítimas de covid-19

Últimas notícias