Bolsonarista invade festa, mata apoiador de Lula e é levado para hospital no Paraná

Bolsonarista chegou a dizer que ia matar todo mundo da festa, mas não conseguiu
| 10/07/2022
- 12:07
policial Guarda
Guarda municipal momentos antes de ser assassinado. Foto: Twitter.

O policial penal federal José da Rocha Guaranho invadiu uma festa de aniversário do guarda municipal Marcelo Arruda e o matou, na noite do sábado (9), em Foz do Iguaçu, no Paraná. O motivo das mortes: Guaranho, apoiador de Bolsonaro, invadiu a festa de aniversário que tinha como tema o ex-presidente e candidato à presidência Luiz Inácio da Silva.

Inicialmente, a Polícia Civil do Paraná informou que o atirador também havia morrido em uma troca de tiros. Mas a informação foi corrigida pela corporação no início da noite deste domingo (10).

Arruda comemorava seus 50 anos na Associação Esportiva Saúde Física Itaipu (Aresfi). A celebração tinha como temática a candidatura do ex-presidente Lula às eleições deste ano. O policial penal teria interrompido a festa, disparado gritos de apoio a Bolsonaro e apontado um revólver para o aniversariante. Ele ainda teria ameaçado matar todos os presentes, mas logo deixou o local.

Na sequência, o guarda municipal se dirigiu a seu para pegar seu revólver funcional. Momentos depois, Guaranho abordou Arruda no estacionamento e atirou contra ele. O guarda conseguiu revidar, mas morreu pouco depois. O policial penal foi internado em estado grave.

Guarda há 28 anos, Arruda também era diretor do Sindicato dos Servidores Municipais de Foz do Iguaçu (Sismufi) e tesoureiro do PT na cidade. Em 2020, ele foi candidato a vice-prefeito pelo partido.

*Matéria atualizada às 7h30 de 11 de julho de 2022 para correção de informação

Veja também

Preconceito pode dificultar diagnóstico e tratamento

Últimas notícias