Brasil

'As mentiras destes que deveriam lhe proteger não prevalecerão em nenhum tribunal', diz pai de Henry

Padrasto e mãe de garoto estão presos desde 8 de abril

Renata Fontoura Publicado em 07/07/2021, às 11h27

Na postagem, Leniel afirma que tudo lembra o filho e que nada vai trazê-lo de volta
Na postagem, Leniel afirma que tudo lembra o filho e que nada vai trazê-lo de volta - Reprodução | Instagram

O pai do menino Henry Borel, de quatro anos, morto em consequência de agressões cometidas pelo padrasto, o vereador cassado, Dr. Jairinho, e omitidas pela própria mãe, Monique Medeiros, postou mais homenagens ao filho na madrugada desta quarta-feira (7). 

"Nada irá trazer você de volta e isso me dói muito, uma parte de mim foi embora com você", diz parte da publicação de Leniel Borel em suas redes sociais.  

Ainda na mesma postagem, o rapaz cita justiça sobre o assassinato. "Papai permanecerá na luta por justiça por você aqui na terra. As mentiras destes que deveriam lhe proteger não prevalecerão em nenhum tribunal. Ó Deus, a quem louvo, pedimos justiça pelo Henry. Mãos que derramaram sangue inocente ainda permanecem em autodefesa, com mentiras e indiferença do brutal assassinato que cometeram 4 meses atrás", declara. 

Já nesta última terça (6), a defesa de Dr. Jairinho pediu revogação de sua prisão preventiva. Ele e Monique Medeiros estão presos desde 8 de abril. 

Sobre a acusação do Ministério Público, que denunciou o ex-vereador por tortura e homicídio triplamente qualificado contra Henry, a defesa alega que o inquérito e sua prisão foram baseados no clamor da mídia, de forma “açodada e tendenciosa”.

O documento também tenta desqualificar Monique e os argumentos dela. Detalhados em carta, a defesa de Jairinho aponta que ela teria sido enveredada em uma trama criada pelo ex-vereador. A defesa dele ainda cita "frieza e ambição" da ex-professora.

Jornal Midiamax