Brasil

Golpe no Instagram: criminosos invadem contas oficiais e anunciam produtos usados para pagamento via Pix

Golpistas divulgam eletrodomésticos e móveis usados com valores abaixo do mercado e recebem pelo produto que não existe

Ranziel Oliveira Publicado em 24/12/2021, às 13h16

Ilustrativa
Ilustrativa - (Foto: Leonardo de França / Jornal Midiamax)

Golpistas estão usando o Instagram para enganar usuários que estão à procura de eletrodomésticos e móveis usados. Após invadirem contas legítimas, criminosos publicam stories anunciando TVs, geladeiras, máquinas de lavar e outros produtos em ótimo estado de conservação e por preços atrativos. A publicação é feita em nome de um suposto amigo ou vizinho que está de mudança e precisa vender os itens, o que inibe suspeitas. Com bastante lábia, os golpistas convencem a vítima a fazer uma transferência via Pix para reservar o produto, que nunca é entregue.

Conforme o site Techtudo, o ponto de partida para o golpe é uma ação de phishing. Criminosos criam perfis falsos de hotéis e restaurantes populares no Instagram e abordam os usuários por mensagem direta (DM), oferecendo promoções. Para ganhar os prêmios, porém, é preciso fornecer o número do celular e clicar em determinado link, que é usado pelos golpistas para capturar as credenciais da conta. Quando a vítima se dá conta da fraude, já não tem mais acesso ao perfil.

Vítima

Foi exatamente o que aconteceu com Larissa, professora universitária. A vítima, que não quis ter o sobrenome identificado, caiu em uma promoção fraudulenta publicada por um perfil falso de um restaurante famoso e seguiu as instruções do suposto estabelecimento. Assim que notou que a conta havia sido hackeada, tentou reverter a situação, mas sem sucesso.

"Tentei mudar a senha, tentei clicar em um link recebido por e-mail pelo próprio Instagram afirmando que não reconhecia aquele acesso. Mas era tarde, pois o estelionatário já havia alterado o número de celular para recuperação da senha", explica Larissa. Sem acesso à conta do Instagram, ela começou a contatar amigos por outros meios para informá-los sobre a fraude, e pediu a eles para compartilhar o alerta.

De posse da conta de Larissa, os criminosos anunciaram, nos stories do perfil, a venda de móveis e eletrodomésticos usados. As fotos dos produtos eram bastante realistas e mostravam o interior de uma casa. Segundo afirmaram os golpistas, os anúncios tinham o objetivo de ajudar um amigo a se desfazer dos produtos.

Larissa conseguiu recuperar a conta na manhã seguinte à invasão, repetindo procedimentos que, segundo ela, não haviam funcionado na noite anterior. "Eu me importava com as pessoas que poderiam cair no golpe, e também fiquei preocupada com outras informações que os bandidos poderiam acessar dentro do meu perfil", conta a professora. Após o susto, ela foi à delegacia fazer um boletim de ocorrência, mas decidiu não prosseguir com a investigação.

Golpistas usam fotos realistas e narrativas bem elaboradas

O golpe aplicado no perfil de Larissa enganou duas vítimas e as fez perder dinheiro. Uma delas é a tia de Carolina Zanelato, ex-aluna de Larissa. Carolina viu o anúncio de uma geladeira cujo preço é, em média, R$ 3.500 sendo vendida por R$ 1.900 e encaminhou a oferta para um grupo de WhatsApp, do qual a tia fazia parte.

No mesmo dia, a vítima, que não quis se identificar, entrou em contato com o golpista, que pediu a realização de uma transferência via Pix no valor de R$ 600 para reservar o produto. A chave informada pelos criminosos, porém, não estava registrada em nome de Larissa. Isso despertou a desconfiança da vítima, que perguntou à Carolina se a professora era alguém confiável.

"A narrativa fazia muito sentido. A geladeira tinha oito meses de uso e estava sendo vendida por um preço bom, mas não tão barato assim. Além disso, minha professora era alguém muito séria e de confiança. Outras amigas que estudaram comigo viram a publicação e não desconfiaram de nada", conta Carolina.

Diante do respaldo da sobrinha, a vítima fez o depósito. No dia seguinte, Carolina se deparou com uma publicação de Larissa em outra rede social informando que o perfil do Instagram havia sido hackeado, mas já era tarde.

Por pouco, o mesmo não aconteceu com Guilherme Teixeira. Ele estava se preparando para fazer mudança e buscava itens usados por preços acessíveis. Foi quando viu, no perfil de um amigo próximo, anúncios com fotos de móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos usados.

Guilherme se interessou por uma geladeira e uma lava e seca e, sem desconfiar do golpe, entrou em contato com o falso amigo perguntando como poderia fazer para comprar os produtos. O golpista, então, respondeu explicando que os itens pertenciam a uma amiga que ia se mudar e precisava se desfazer dos itens. O criminoso acrescentou que os produtos estavam sendo vendidos muito rápido e que, por isso, seria interessante fazer um depósito para reservá-los, como um sinal.

Ainda sem desconfiar, Guilherme pediu para ver pessoalmente os produtos. O criminoso aceitou, mas enviou uma resposta que levantou suspeitas. "Ele disse que estaria em casa a partir das 16h, porque esse era o horário que ele saía do serviço. Então, eu lembrei que o meu amigo estava desempregado e trabalhando só como freelancer, desconfiei e decidi não transferir dinheiro", explica.

Nesse momento, Guilherme enviou uma mensagem via WhatsApp para o verdadeiro amigo, que informou ter sido vítima de invasores no Instagram, e descobriu a fraude. Se tivesse feito a transferência, ele teria perdido R$ 2.800.

O que diz o Instagram

Procurado pelo TechTudo, o Instagram afirmou que dispõe de mecanismos de segurança para detectar a ação de invasores e impedir o acesso destes a contas, bem como recursos para proteger a segurança dos usuários. Em nota, a empresa reforçou a importância de desconfiar de publicações que oferecem bens e serviços por preços baixos e orientou os usuários a denunciarem posts e contas suspeitas.

"O Instagram faz uso de sistemas sofisticados para detectar e impedir a ação de indivíduos mal intencionados antes que eles obtenham acesso a contas e disponibiliza recursos de segurança para ajudar a proteger os usuários, como 'autenticação de dois fatores' e 'atividade de login', além de diferentes caminhos para a recuperação de contas, que podem ser encontrados na Central de Ajuda. Recomendamos ainda que as pessoas desconfiem de publicações na internet que ofereçam serviços e bens por um valor abaixo do preço de mercado e pedimos que denunciem através do aplicativo publicações e contas que considerarem suspeitas", afirma a nota do Instagram. (Com informações do site Techtudo).

Jornal Midiamax