Brasil

Garimpeiros do PCC invadem terra indígena, atacam comunidade e confronto deixa três mortos

Grupo armado chegou em várias embarcações

Renan Nucci Publicado em 11/05/2021, às 16h22

Indígenas da comunidade atacada na segunda-feira
Indígenas da comunidade atacada na segunda-feira - Divulgação / Condisi-Y

O PCC (Primeiro Comando da Capital), facção que disputa o domínio do tráfico na fronteira com o Paraguai, em Mato Grosso do Sul, é suspeito de promover ataques contra indígenas no estado de Roraima. Garimpeiros ligados à organização criminosa teriam disparado contra moradores da comunidade Palimiú, na terra Yanomami, no final da tarde de segunda-feira (10). O confronto deixou três dos invasores mortos.

Conforme reportagem apurada pela equipe da Amazônia Real e divulgada no portal da Ponte Jornalismo, organização sem fins lucrativos que defende os direitos humanos, os invasores se comportavam de forma diferente e vestiam, inclusive, trajes como se fossem policiais. 

“Eles estavam de preto. A comunidade achou esquisito a roupa deles. Disseram que algumas roupas estavam escrito ‘polícia’. Muito estranho isso”, disse Junior Hekurari presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye´kuana, segundo publicado pela Ponte.

Três garimpeiros ligados ao PCC morreram e outros cinco ficaram feridos, assim como um dos índios. Os criminosos teriam chegado à região por volta das 11 horas, em várias embarcações, quando foram abordados em uma barreira sanitária às margens do rio Uraricoera, região do Alto Alegre. 

“Primeiro, um grupo de garimpeiros chegou. Eles [os indígenas] barraram para que não passassem. Aí, depois de dez minutos, chegou outro grupo de garimpeiros. Atiraram de todos os lados e invadiram as comunidades. Os Yanomami também responderam com flecha contra os garimpeiros, com espingarda”, disse Junior à publicação. 

O ataque deixou a situação assustada, em estado de alerta. Os moradores temem represália do grupo criminoso e a Funai (Fundação Nacional do Índio) acompanha a situação. Informações são de que o PCC esteja atuando no garimpo como forma de obter riquezas para financiar as demais atividades do grupo.

Jornal Midiamax