Brasil

Fernando Henrique Cardoso diz que Bolsonaro faz 'política de ódio'

Ex-presidente voltou a declarar que votaria em Lula se houvesse um 2º turno

Renata Fontoura Publicado em 04/06/2021, às 18h55

Para FHC, Lula, diferentemente de Bolsonaro, respeita as regras da democracia
Para FHC, Lula, diferentemente de Bolsonaro, respeita as regras da democracia - Caio Guatelli | VEJA

O ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, declarou duras crítinas a Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (4), durante uma entrevista à TV Democracia.

Conforme FHC, o encontro recente com o também ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi um “gesto de civilidade” e que apesar de críticas de membros do partido, "não precisa consultar ninguém" para realizar tais momentos.

“Não foi um gesto politico. Foi um gesto pessoal, depois eu vi nos jornais atribuindo que ‘fez isso e fez aquilo’. Mas, se possível, eu vou votar no PSDB se houver candidatos que vá até o segundo turno, e espero que haja. Mas não vejo razão para essa decepção. Eu falo com todo mundo, e não consulto ninguém nessa altura da vida, o PSDB ou qualquer outro partido, ou autoridade para saber com quem devo almoçar”, afirmou.

FHC também foi questionado se houver um 2º turno na disputa presidencial entre Bolsonaro e Lula: ele garantiu, mais uma vez, que votaria no petista. 

“Eu prefiro um terceiro (candidato) que não seja nem Lula, nem Bolsonaro, mas se ficar entre os dois, eu votaria no Lula. Não estou dizendo porque acho que o Bolsonaro seja capaz de dar um golpe, mas o Lula pelo menos respeita as regras da democracia. E o Lula teve uma vantagem: ele é uma pessoa que nasceu no meio pobre e nunca se esqueceu disso. Ele se orienta pelos poderosos, sempre foi assim, mas ele faz uma política de conciliação. Já o Bolsonaro faz política de ódio, um contra o outro. O Lula não é de um contra o outro, é de todos nós, é mais brasileiro nesse sentido”, destaca. 

Jornal Midiamax