A Embaixada da , localizada em informou, nesta quinta-feira (21), que está se esforçando para ajudar o governo brasileiro a trazer os insumos necessários para produção da vacina contra o novo .  Esta nota foi publicada um dia depois que o embaxador chinês, Yang Wanming, e os ministros da e das Comunicações, Tereza Cristina e Fabio Faria.

Desde o começo da semana vem surgindo dificuldades para que o Instituto Butantan possa dar continuidade na produção da CoronaVac e essa foi a primeira vez que o embaixador toca no assunto e se posiciona. Mas também foi a primeira vez que o diplomata conversou com a alguém do governo, até então só havia conversado com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“A parte chinesa tem sempre apoiado e continuará apoiando o fortalecimento de cooperação na área de vacinas entre as empresas e instituições dos dois países”, diz um trecho da nota.

A embaixada pulicou uma nota falando da importância dos países se apoiarem neste momento, visto que a vacina é uma questão coletiva e o apoio é o único caminho a seguir.

“Diante do vírus, a humanidade é uma comunidade de futuro compartilhado”, diz a nota.