Brasil

Após morte, esposa de Lázaro Barbosa diz que policiais ‘conseguiram o que queriam’

Lázaro era procurado há 20 dias por série de assassinatos

Renata Portela Publicado em 28/06/2021, às 15h10

Momento em que Lázaro foi colocado na viatura dos bombeiros
Momento em que Lázaro foi colocado na viatura dos bombeiros - (Reprodução, vídeo)

Após a morte de Lázaro Barbosa, procurado há 20 dias por assassinatos cometidos em Goiás, a mulher de 32 anos disse em entrevista que a polícia ‘conseguiu o que queria’. Lázaro teria reagido ao cerco policial em Águas Lindas de Goiás (GO) na manhã desta segunda-feira (28) e morreu após troca de tiros.

Em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, da TV Record, a mulher disse sobre a ação policial “Eles conseguiram o que queria, que era matar ele”. Ela fez reconhecimento do corpo de Lázaro no IML (Instituto Médico Legal) e lamentou o desfecho do caso com a morte do homem que ficou conhecido como ‘serial killer do DF’.

Conforme informações do portal Uol, a mulher de Lázaro alegou que a polícia queria matar o acusado. “Acho que não precisava desse desfecho. Desde o início me disponibilizo para ir à mata. Os policiais de Goiás sempre quiseram ele para matar, e não para prender. Disso eu tenho certeza. Se eles quisessem ele vivo, iam ter ele vivo”, disse.

Na entrevista, a mulher ainda questionou se Lázaro teria munição suficiente para trocar tiros com os policiais. Ela também alegou que foi agredida a tapas por um policial de Goiás. “Eu não estou mais à disposição da polícia. Já que mataram o Lázaro, eu quero que me deixem em paz”, afirmou.

Por fim, a mulher alegou que não acredita que Lázaro recebeu ajuda nos 20 dias em que esteve foragido e afirmou que ele era “um bom marido e um bom pai”. Ele deixa uma filha de 2 anos.

Crimes

Lázaro era acusado de matar, a tiros e facadas, três pessoas na zona rural de Ceilândia, no último dia 9. Os mortos eram Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, e os filhos Gustavo Marques Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15.

O foragido também era apontado como responsável pelo sequestro da mulher de Cláudio, Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos. O corpo dela foi encontrado no dia 12 de junho à beira de um córrego.

Ele também era investigado como suspeito da morte de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás, no último dia 5. Durante a fuga dos últimos dias, Lázaro invadiu chácaras, furtou um carro e o abandonou na BR-070, fez uma família refém e trocou tiros com a polícia.

Jornal Midiamax