Brasil

“Superfungo” com alta taxa de mortalidade pode ter chegado ao Brasil e Anvisa emite alerta

Um homem é suspeito de ter sido infectado por um fungo chamado Candida auris, que se confirmado será o primeiro caso registrado no Brasil. O paciente está internado na Bahia com covid-19. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) emitiu um alerta nesta segunda-feira (7) sobre a possível chegada da Candida auris no Brasil e […]

Gabriel Neves Publicado em 09/12/2020, às 07h37

Fungo já foi registrado em mais de 30 países. (Foto: Reprodução/Science Photo Library)
Fungo já foi registrado em mais de 30 países. (Foto: Reprodução/Science Photo Library) - Fungo já foi registrado em mais de 30 países. (Foto: Reprodução/Science Photo Library)

Um homem é suspeito de ter sido infectado por um fungo chamado Candida auris, que se confirmado será o primeiro caso registrado no Brasil. O paciente está internado na Bahia com covid-19.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) emitiu um alerta nesta segunda-feira (7) sobre a possível chegada da Candida auris no Brasil e reforçou que se trata de “fungo emergente que representa uma séria ameaça à saúde pública”.

A Candida auris foi descoberto em 2009 e já foi identificada em mais de 30 países e a maior preocupação é em relação a sua “multirresistência” a medicamentos, com uma taxa de 39% de mortalidade, segundo publicado no portal MSN.

“Embora ela seja muito resistente e preocupante, não sei se a Candida auris vai chegar ao ponto de infectar muita gente”, explica o o médico infectologista Alessandro Comarú Pasqualotto.

“Em termos globais, ainda são poucos os casos. Não é porque temos a suspeita de um caso no Brasil que temos que fechar as fronteiras. Mas, dada a sua resistência, existe sim um alerta, porque (o fungo) pode causar surtos em pequenos núcleos, como no ambiente hospitalar”, reforçou.

Hoje há cerca de 4,7 mil casos de infecção pela Candida auris já registrados em 33 países, segundo estimativas publicadas por pesquisadores chineses na revista científica BMC Infectious Diseases.

Jornal Midiamax