Beto Richa é preso pela terceira vez, agora por suposta obstrução de Justiça

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso nesta terça-feira, 19, sob suspeita de obstrução de Justiça. O tucano foi capturado na fase 4 da Operação Quadro Negro, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. Esta é a terceira vez que Beto Richa é preso […]
| 19/03/2019
- 11:48
Beto Richa é preso pela terceira vez, agora por suposta obstrução de Justiça
Beto Richa é preso pela terceira vez, agora por suposta obstrução de Justiça
Ex-governador do , Beto Richa. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso nesta terça-feira, 19, sob suspeita de obstrução de Justiça. O tucano foi capturado na fase 4 da Operação Quadro Negro, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. Esta é a terceira vez que Beto Richa é preso em um ano. O ex-governador paranaense havia sido capturado na Operação Radiopatrulha, também do Gaeco, e ainda pela Operação Integração, um desdobramento da Lava Jato.
Na semana passada, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes concedeu um salvo-conduto para impedir a prisão do ex-governador, mas a medida se aplica apenas às investigações relacionadas à Lava Jato. Porém, no ano passo, Gilmar Mendes também concedeu um salvo-conduto para as investigações, à época, do MP-PR.

A nova detenção é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. A suspeita contra o tucano é de , entre outros crimes, e ele foi preso no apartamento onde mora.

A ação é um desdobramento da Operação Quadro Negro, que investiga desvios nos recursos destinados à construção de escolas. O empresário Jorge Atherino, apontado pelo MP-PR como operador financeiro de Beto Richa, e Ezequias Moreira, ex-secretário especial de Cerimonial e Relações Exteriores do Paraná, também foram presos.

*Com informações do Estadão e G1.

Veja também

Declaração foi dada por Lula em um evento em Fortaleza, no Ceará, no final do mês passado

Últimas notícias