Brasil

No Twitter, filho de Bolsonaro diz que ferimento foi mais grave e pede orações

Flávio Bolsonaro, filho do candidato a presidência do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), postou mensagem em rede social oficial afirmando que o ferimento sofrido pelo pai foi mais grave do que apurado inicialmente. No Twitter, Flávio diz que o corte sofrido na facada ‘foi mais grave’. A postagem já conta com mais de 29 mil curtidas […]

Mariane Chianezi Publicado em 06/09/2018, às 18h07 - Atualizado em 07/09/2018, às 11h18

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução - Foto: Reprodução

Flávio Bolsonaro, filho do candidato a presidência do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), postou mensagem em rede social oficial afirmando que o ferimento sofrido pelo pai foi mais grave do que apurado inicialmente.

No Twitter, Flávio diz que o corte sofrido na facada ‘foi mais grave’. A postagem já conta com mais de 29 mil curtidas e 14 mil comentários. Confira:

Anteriormente, Flávio havia divulgado um áudio confirmando o esfaqueamento e comentou que inicialmente o quadro de saúde do pai ‘não passava de um susto’.

“Um vídeo bastante impactante, uma pessoa no meio da multidão tenta dar uma facada no coração dele. Um rapaz que percebeu que ia dar a facada e conseguiu desviar com o braço o golpe. Ele foi medicado e foi só susto”, disse em áudio.

Atentado

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi esfaqueado em evento de campanha em Minas Gerais na tarde desta quinta-feira (6), segundo agências de notícias. O candidato teria sido esfaqueado na região do tórax enquanto era carregado nos ombros por um apoiador de campanha.

O candidato foi encaminhado para a Santa Casa de Juiz de Fora. Segundo a PM, um suspeito foi detido, mas ainda não foi identificado. Confira o vídeo aqui.

Suspeito preso

Adélio Bispo de Oliveira, apontado como o homem que esfaqueou Jair Bolsonaro, durante campanha em Juiz de Fora (MG) nesta sexta-feira (6), afirmou que estava “cumprindo ordem de Deus”.

Conforme divulgado pelo Portal UOL, o agressor foi preso em flagrante e, na hora em que era conduzido pela Polícia Federal, garantiu que deu a facada por estar “cumprindo uma ordem de Deus”.

A informação foi dada ao portal pelo presidente da Fenapef (Federação dos Agentes da Polícia Federal), Luis Boundens. O presidente conversou com os colegas de trabalho que estavam no local do atentado e tiveram que, além de prender o agressor, conter a multidão que tentou linchá-lo.

Jornal Midiamax