Brasil

Juiz flagrado com carro de Eike Batista é condenado a 52 anos de prisão

Juiz foi condenado por corrupção e peculato

Joaquim Padilha Publicado em 21/02/2018, às 15h49

None

Juiz foi condenado por corrupção e peculato

O juiz federal Flávio Roberto de Souza, flagrado dirigindo um Porsche apreendido pela Justiça que pertencia ao empresário Eike Batista, foi condenado a 52 anos e dois meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro.

As condenações são resultado de dois processos que tramitam na Justiça Federal do Rio de Janeiro. As decisões foram emitidas nas últimas sexta-feira (16) e segunda-feira (19), pelo juiz Gustavo Pontes Mazzocchi, da 2ª Vara Federal do Rio.

Além da prisão, o juiz foi condenado ao pagamento de multa de R$ 599 mil e a perda do cargo de magistrado. “Poucas vezes se teve notícia de agente da magistratura que tenha conseguido achincalhar e ridicularizar de forma tão grave um dos poderes do Estado”, diz o juíz na sentença.

Para o magistrado, o fato teve “consequências gravíssimas, não apenas pelo desaparecimento de autos processuais, mas pela desmoralização absoluta do Poder Judiciário como um todo […], decorrência dos atos criminosos perpetrados por aquele que deveria aplicar a lei”, pontuou.Juiz flagrado com carro de Eike Batista é condenado a 52 anos de prisão

Além de ter utilizado o carro de Eike, o juiz Flávio Roberto também teria cometido o crime de peculato ao desviar R$ 106 mil com a venda de um carro do traficante espanhol Oliver Ortiz, apreendido em uma Operação da Polícia Federal.

Flávio Roberto também desviou R$ 290,5 mil de uma conta da Justiça Federal para comprar uma Land Rover. A condenação ocorre em primeira instância, podendo ser alvo de recurso nos tribunais superiores.

Jornal Midiamax