Brasil

Em vídeo gravado no hospital, Bolsonaro diz que nunca fez mal a ninguém

Após ser esfaqueado e passar por cirurgia nesta quinta-feira (6) em um hospital em Juiz de Fora (Minas Gerais), o candidato a presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, gravou um vídeo já no quarto do hospital. O senador Magno Malta fez o vídeo e divulgou nas redes sociais. Na cama do hospital Bolsonaro agradece a Deus […]

Thatiana Melo Publicado em 07/09/2018, às 06h34 - Atualizado às 13h05

None

Após ser esfaqueado e passar por cirurgia nesta quinta-feira (6) em um hospital em Juiz de Fora (Minas Gerais), o candidato a presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, gravou um vídeo já no quarto do hospital. O senador Magno Malta fez o vídeo e divulgou nas redes sociais.

Na cama do hospital Bolsonaro agradece a Deus e aos enfermeiros. Ele diz que no primeiro momento achou que fosse uma pancada parecida com uma bolada de futebol no estômago. Mas, segundo ele depois percebeu que algo mais grave estava acontecendo. “A dor era insuportável”.

“Foi Deus que evitou que algo mais grave acontecesse”, disse Bolsonaro que ainda afirmou que já vinha se preparando para um momento como este. Bolsonaro ainda faz um questionamento, “Será que o ser humano é tão mal assim?”.

Com dificuldades para falar o candidato terminou agradecendo a equipe médica e lamentado o fato de não poder estar no desfile de 7 de Setembro.

Bolsonaro na UTI passa o recado para o Brasil! #ForçaBolsonaro

Posted by Bolsonaro Presidente on Thursday, September 6, 2018

Estado de saúde

O estado de saúde do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, é grave, mas estável,disseram os médicos que realizaram uma cirurgia no presidenciável na Santa Casa de Misericórdia da cidade nesta quinta (6).

Eles afirmaram que Bolsonaro foi alvo de um único, porém profundo, golpe de faca que causou uma grande hemorragia e lesões nos intestinos grosso e delgado e em uma veia abdominal. Bolsonaro está na unidade de terapia intensiva do hospital e há risco de infecção, por isso ele está sendo tratado com antibióticos.

Os médicos disseram que o período de hospitalização mínimo deve ser de uma semana a 10 dias. Segundo eles, não há condições clínicas de o candidato ser transferido para outro hospital neste momento. Eles disseram também que uma equipe do Hospital Sírio-Libanês voará de São Paulo para Juiz de Fora para acompanhar o quadro de Bolsonaro.

Jornal Midiamax