Brasil

‘Wolverine’ diz estar arrependido de agressões e acaba sendo solto em SP

O homem foi liberado, mas as "garras" continuam apreendidas pela polícia

Henrique Kawaminami Publicado em 06/01/2017, às 11h03

None
whatsapp_image_2017-01-05_at_10.48.43.jpeg

O homem foi liberado, mas as "garras" continuam apreendidas pela polícia

O homem detido nesta última quarta-feita (4) por ameaçar o sobrinho, a mulher e políciais militares com “garras” feitas de espeto de churrasco foi solto depois de prestar depoimento na Delegacia de Peruíbe, no litoral de São Paulo. O suspeito, apelidado pelos policiais de ‘Wolverine”, disse que estava arrependido e que tudo não passou de uma confusão.

Segundo o policiais que atenderam a ocorrência, o funileiro Nelson Araújo, de 48, discutia com o próprio sócio e sobrinho na empresa que possuem na avenida Tancredo Neves, no Jardim Brasil.

Com a chegada da PM, ‘Wolverine’ ficou ainda mais nervoso e decidiu usar suas “garras” para tentar agredir os PMs, que precisaram usar a força para conseguir deter o agressor. Ainda segundo a polícia, a 'garra' foi improvisada utilizando os espetos e uma espécie de soco inglês.

Araújo foi levado até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para realizar o exame de corpo de delito e depois até a Delegacia para formalizar a ocorrência.

Segundo notíciado pelo G1, ele disse aos policiais que lamentava o ocorrido e que estava nervoso com o sobrinho e com a esposa dele, mas a situação seria resolvida. Ele afirmou ainda que estava "muito arrependido de tudo que houve". Apesar das ameaças tanto ao parente, quanto à PM, Araújo foi liberado, mas as "garras" estilo soco inglês continuam apreendidas.

Jornal Midiamax