Brasil

PT ignora derrota do impeachment e apoia PMDB à presidência do Senado

Nome de senador Eunício Oliveira foi indicado à Mesa

Joaquim Padilha Publicado em 07/01/2017, às 11h59

None
euniciooliveira.jpg

Nome de senador Eunício Oliveira foi indicado à Mesa

Mesmo tendo perdido milhares de cargos comissionados e cerca de 350 prefeitos em todo o país, o PT deve ignorar a derrota do impeachment promovida pelo PMDB e apoiar nomes indicados pela base de Michel Temer para compor a Mesa Diretora da Câmara e do Senado Federal.

O partido não pretende cometer o mesmo erro de 2015, quando lançou uma candidatura própria à presidência da Câmara dos Deputados e perdeu para Eduardo Cunha (PMDB), ficando de fora do centro das decisões do Legislativo.

O nome apoiado pelo partido até o momento é o de Eunício Oliveira (PMDB) para o Senado. O apoio ao peemedebista deve garantir uma posição ao partido na Mesa Diretora. O número de vagas no Senado e na Câmara, somados, é de 88 vagas.

Dessas, atualmente apenas duas são ocupadas pelo PT. Jorge Viana coupa a vice-presidência do Senado e Ângela Portela a posição de quarta-secretaria, com cinco e 13 indicações, respectivamente.

Segundo a Folha de S. Paulo, uma troca de favores deve ser feita entre os partidos. Pelo apoio, Eunício Oliveira teria oferecido o cargo de primeiro-secretário ao PT, para o qual o partido pretende indicar o senador José Pimentel.

A justificativa dada pelos senadores da bancada petista é de que o apoio ao PMDB seria lógico por seguir o regimento interno do Senado, que dita o respeito à proporcionalidade do número de senadores por partido na composição da Mesa. O PMDB, com 19 senadores, é o partido de maior número na Casa.

(sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax