Brasil

Lava-Jato pede impedimento de Gilmar Mendes por laços com investigados

Procuradores afirmam que ministro é próximo de empresários presos na Lava-Jato

Joaquim Padilha Publicado em 19/08/2017, às 13h44

None

Procuradores afirmam que ministro é próximo de empresários presos na Lava-Jato

A força-tarefa da Operação Lava-Jato pediu ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que entre com um pedido de impedimento do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, após o magistrado acolher um pedido de habeas corpus aos empresários Jacob Barata Filho e Lélis Marcos Teixeira, presos durante a Operação.

Segundo o MPF-RJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro), Mendes tinha relações pessoais com os empresários, e foi inclusive padrinho de casamento da filha de Barata Filho, Maria Beatriz Barata. A jovem se casou com o sobrinho do ministro do STF, Francisco Feitosa Filho.

Mendes também é esposo de Guiomar Mendes, que trabalha em um escritório de advocacia que atua em casos relacionados aos empresários. Além disso, o ministro é cunhado de um dos sócios de Barata Filho, Francisco Feitosa de Albuquerque Lima.

Os procuradores da Lava-Jato também apontam como prova da proximidade entre o ministro e os presos o fato do nome da esposa de Mendes constar na lista de contatos do telefone celular de Barata Filho. Os investigadores dizem possuir fotos e diálogos que comprovam o nível de intimidade do magistrado e dos investigados. Lava-Jato pede impedimento de Gilmar Mendes por laços com investigados

A prisão

Nesta quinta-feira (17), após Gilmar Mendes conceder o habeas corpus aos empresários, o juiz Marcelo Bretas expediu novos mandados de prisão preventiva contra Barata Filho e Marcos Teixeira. O ministro do STF considerou a decisão “atípica”.

Barata Filho é conhecido como o “rei do ônibus no Rio” e Lélis Teixeira já foi presidente da Fetranspor (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro).

Os empresários estão presos desde julho, acusados de pagarem propinas a autoridades do Rio de Janeiro,  em troca de obtenção de benefícios no sistema de transporte público do Estado.

Jornal Midiamax