Brasil

Protesto contra corrupção ocorre simultaneamente em todo Brasil

Na Capital expectativa é de 100 mil pessoas

Jessica Benitez Publicado em 13/03/2016, às 11h07

None
bastacorrupcao.jpg

Na Capital expectativa é de 100 mil pessoas

Ocorre na tarde deste domingo (13) protesto nacional contra a corrupção e o governo Federal. Em Campo Grande a concentração será na Praça do Rádio às 14h, sendo que a passeata começa a partir das 16h. A expectativa de público, segundo o movimento Reaja Brasil, é de 100 mil pessoas em ato pacífico e apartidário. C

Ao decorrer da semana passada foram feitas adesivagens em veículos em cruzamentos da Capital por cerca de 300 voluntários. Ainda segundo o movimento, somente no último final de semana mais de 4 mil veículos foram adesivados. Para garantir ato pacífico a Polícia Militar e de Trânsito com 600 homens nas ruas, sendo 200 na parte central.

Também farão a segurança, Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Cavalaria e Batalhão de Choque da PM, bem como Guarda Municipal. A Afonso Pena fica interditada entre a Rui Barbosa e a Ceará a partir das 13h. De acordo com informações da Prefeitura, conforme for dispersando as manifestações as vias serão liberas para os veículos.

Aos condutores que precisam trafegar pela região o recomendado é utilizar no sentido bairro-centro as ruas Barão do Rio Branco, Antônio Maria Coelho e a Avenida Mato Grosso. Os manifestantes vão vestidos com as cores da bandeira do Brasil. Alguns segmentos estarão padronizados.

Delegados da Polícia Federal estarão de preto, já alunos de medicina vão de branco. Em caso de confronto a orientação da organização é de que as pessoas sentem no chão, assim como foi em outros protestos no ano passado. Também para evitar conflito a militância petista não vai às ruas hoje. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, convocou manifesto nos dias 18 e 31 deste mês.

Apoiam o ato: Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso Sul), Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul), Força sindical (com 42 sindicatos) Maçonaria, Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Abrasel (Associação de Bares e Restaurantes), Associação Veredas da Fé, Moto Clube Bodes do Asfalto, Sindicato dos taxistas de Campo Grande e Sindicato Rural de Campo Grande.

Polêmica – A presença de políticos em atos do movimento Reaja Brasil, composto pelos movimentos Pátria Livre Democrático Pró Impeachment, acabou em disputas judiciais entre organizadores.

Isso porque dois movimentos solicitaram à Justiça habeas corpus, porém sem sucesso. Mas o processo expôs inclusive denúncias de ameaça entre os grupos e divisão no objetivo da manifestação. Políticos são bem vindos para alguns e repudiados por outros.

Jornal Midiamax