Brasil

Pescador morre após ser mordido por tubarão na costa do RS

Barco pesqueiro acionou Marinha após tripulante ser ferido

Henrique Kawaminami Publicado em 16/11/2016, às 14h32

None
pesca_08_5milkvn.jpg

Barco pesqueiro acionou Marinha após tripulante ser ferido

Um pescador morreu após ser mordido por um tubarão nesta terce-feira (15), aproximadamente 200 milhas (320 quilômetros) da costa do Rio Grande, no Sul do Rio grande do Sul. A vítima foi identificada como Linaldo Galdino de Brito, de 32 anos, natural da Paraíba.

A embarcação onde o pescador estava era de Itajaí, em Santa Catarina. Na tarde de terça, o animal marinho foi puxado para o convés do barco. Foi quando Linaldo foi mordido na panturrilha.

O pedido de socorro foi feito pelos colegas via rádio para a Marinha em Rio Grande. Sem condições de realizar o socorro, a Base Aérea de Santa Maria foi acionada. Um helicóptero H-60 foi até o local. Como não era possível pousar no barco, a equipe desceu utilizando uma corda e verificou que não era possível estancar o sangramento.

A tripulação seguiu para Itajaí com o corpo do pescador. A Marinha abriu inquérito para investigar o que aconteceu.

Na manhã desta quarta, a Marinha enviou uma nota oficial sobre o resgate. Leia a íntegra abaixo:

"O Comando do 5º Distrito Naval (Com5ºDN) recebeu ontem (15), por volta das 10h, o pedido de resgate de um tripulante ferido por um tubarão a bordo do barco de pesca "Alemão Pescados", a uma distância de aproximadamente 335 km a leste de Rio Grande-RS.

O Serviço de Busca e Salvamento do Com5ºDN imeditamente prestou orientações médicas via telefone satelital, para possibilitar os primeiros socorros ao tripulante. Ocorreu também o deslocamento do Navio Patrulha Benevente ao local do incidente para prestar apoio. Além disso, o Com5ºDN acionou o SALVAERO da Força Aérea Brasileira (FAB), em Curitiba, que decidiu realizar a Evacuação Aeromédica com um helicóptero H-60 Blackhawk, sediado na Base Aérea de Santa Maria.

A equipe de resgate da FAB desceu na embarcação e atestou o óbito do pescador. O corpo do tripulante permanece na embarcação pesqueira, que se encontra navegando em direção ao porto de origem, em Itajaí-SC."

Jornal Midiamax