Brasil

Operação que investiga policiais legislativos foi acelerada após vazamento

Métis investiga se policiais do Senado tentaram atrapalhar Lava-Jato

Joaquim Padilha Publicado em 22/10/2016, às 12h07

None
pf.jpg

Métis investiga se policiais do Senado tentaram atrapalhar Lava-Jato

A Operação Métis, que investiga a suposta atuação de policiais do Senado Federal na obstrução da Operação Lava-Jato, foi acelerada diante de provas de que  investigação já tinha vazado para o conhecimento dos parlamentares investigados.

Advogados do Poder Legislativo estiveram na 10ª Vara Federal, em Brasília, em busca de informações sobre a operação e requerindo dados sobre o inquérito da Polícia Federal, antes mesmo de a PF ter conseguido a autorização das prisões temporárias.

Para a PF, os policiais legislativos tinham conseguido a informação das prisões utilizando estratégias de contrainteligência. Para responder agilmente à investida dos advogados, quatro prisões temporárias foram autorizadas nea noite desta quinta-feira.

Operação Métis

Foram presos preventivamente quatro policiais do Senado Federal nesta sexta-feira (21): Everton Taborda, Geraldo Cesar de Deus, Antonio Tavares e Pedro Ricardo Carvalho. Este último é também diretor da Polícia do Senado.

A investigação apura se ao realizarem varreduras na casa de parlamentares, os policiais legislativos teriam atrapalhado as investigações da Policia Federal, durante a Operação Lava-Jato.

A polícia legislativa é responsável por fazer a segurança dos parlamentares, além de prevenir e apurar infrações nas instalações do Congresso Nacional.

Jornal Midiamax