Brasil

Nova fase da Lava Jato prende irmão de lobista da Petrobras

Samir Assad teria feito parte de esquema criminoso do irmão

Norberto Liberator Publicado em 10/08/2016, às 12h43

None
lava-jato.jpg

Samir Assad teria feito parte de esquema criminoso do irmão

A nova fase da Operação Lava Jato, batizada de Operação Irmandade, cumpre nesta quarta-feira (10) um mandado de prisão e um de busca e apreensão, havendo mais 11 pessoas investigadas. Foi preso o empresário Samir Assad, irmão do lobista Adir Assad, que operava para a Delta, Petrobrás e Eletronuclear.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, a Operação Irmandade é um desdobramento da Pripyat, que prendeu 11 pessoas e investiga esquema de propinas em obras da Eletronuclear, incluindo a construção da Usina Angra III. Adir Assad foi um dos condenados.

Os irmãos Assad teriam operado como mediadores de esquemas envolvendo organizações criminosas. Adir teria sido o grande ‘lavador de dinheiro’ por meio de empresas de fachada e laranjas. Em reportagem anterior, o ‘Estadão’ citou que o empresário era famoso por promover grandes eventos, como shows do U2, Amy Wynehouse e Beyoncé.

Ele foi preso pela primeira vez em março de 2015, por ordem do juiz Sérgio Moro, suspeito de operar rede de empresas fantasma que lavavam dinheiro de propina do ‘Petrolão’. Em um ano e três meses, ele já acumula três mandados de prisão preventiva.

Jornal Midiamax