Brasil

Morta em 2015, Tomie Ohtake é convocada para depor na CPI da Lei Rouanet

Artista nipo-brasileira foi incluída em lista de captadores de recursos

Norberto Liberator Publicado em 20/09/2016, às 13h51

None
tomie_ohtake_060813.jpg

Artista nipo-brasileira foi incluída em lista de captadores de recursos

O deputado federal Expedito Netto (PSD-RO), membro da CPI da Lei Rouanet – criada para investigar irregularidades no recebimento de verbas destinadas à cultura –, pediu a convocação de algumas pessoas para depor na comissão. Entre elas, está Tomie Ohtake, artista plástica japonesa naturalizada brasileira.

No entanto, Thomie está morta desde fevereiro de 2015, ou seja, há mais de um ano e meio. De acordo com a coluna de Mônica Bérgamo na Folha de S. Paulo, a artista foi incluída na lista por ser uma das “representantes de instituições que mais captaram recursos” por meio da Lei de Incentivo Fiscal.

O jornal Extra ainda cita que, além da polêmica convocação da nipo-brasileira falecida, a lista inclui ainda nomes como o empresário Luiz Calainho; o banqueiro Roberto Setúbal, do Itaú; o diretor administrativo e financeiro do Museu Assis Chateubriand, Miguel Gutierrez; e o presidente do conselho de administração da empresa T4F (Time For Fun), Fernando Luiz Alterio.

Tomie Ohtake tinha 101 anos quando morreu, em decorrência de uma broncopneumonia. Ela é uma das mais prestigiadas artistas do Brasil, famosa pelas esculturas cuja principal marca eram as curvas. Tomie também trabalhou com pinturas e gravuras. É um dos principais nomes mundiais do abstracionismo informal.

Jornal Midiamax