Brasil

MBL agride alunos em tentativa de ‘desocupação’ de escolas em Curitiba

Não havia ação judicial em favor de desocupação

Joaquim Padilha Publicado em 28/10/2016, às 11h28

None
pm-parana.jpg

Não havia ação judicial em favor de desocupação

Na noite desta quinta-feira (27), militantes do MBL (Movimento Brasil Livre) invadiram o colégio estadual Lysimaco Ferreira da Costa, em Curitiba, Paraná, numa tentativa de desocupar a escola, tomada por estudantes contrários a reforma do ensino médio e à PEC 241.

A tentativa, entretanto, foi frustrada. O MBL, contrário a ocupação, entrou no prédio do colégio mas foi impedido pela Polícia Militar do Paraná de apermanecer no local, pois não havia mandado judicial favorável a desocupação.

O advogado Vitor Leme, que representa os estudantes, e mais dois alunos que participam da ocupação teriam sido agredidos, segundo o Portal Paraná. “Me bateram e puxaram meu cabelo”, disse Leme.

“Aconteceram ameaças morais e de agressão física. Os alunos se trancaram dentro do prédio e a PM entrou e tirou os integrantes do MBL”, disse Leme.

Os integrantes do MBL teriam entrado no colégio com autorização do diretor da escola, segundo Leme. “No momento em que o diretor disse que queria dialogar, ele foi autorizado a entrar e abriu o portão pra deixar os membros do MBL entrarem e causarem confusão aqui dentro.”

Com a rápida circulação nas redes sociais de que a escola poderia sofrer uma desocupação por parte do MBL, manifestantes foram ao Lysimaco Ferreira em apoio aos estudantes. O Conselho Tutelar e advogados que defendem o movimento Ocupa Paraná também compareceram ao colégio.

Segundo o líder do MBL, Éder Borges, não houve tentativa de desocupação à força. Ele afirmou entretanto que o movimento entrou no colégio. “Nós viemops dar apoio aos pais e alunos que querem a desocupação das escolas”, disse. “A ocupação é um movimento partidário”.

Na página do movimento, uma transmissão ao vivo mostra um dos manifestantes do MBL dizendo que o grupo estava “desocupando mais uma escola no Paraná”.

Escolas Ocupadas

No Paraná, 850 escolas, 14 universidades e 11 núcleos de educação foram ocupados, segundo o movimento Ocupa Paraná. A última atualização foi feita na sexta-feira (21).

A 5ª Vara de Fazenda Pública do Paraná deferiu liminar nesta quinta-feira em favor da desocupação de 25 escolas em Curitiba. O descumprimento da ação gerará uma multa de R$ 10 mil por dia.

A Polícia Militar pode ser convocada para auxiliar na desocupação das escolas, requisitada pela PGE (Procuradoria Geral do Estado). No caso do colégio Lysimaco Ferreira da Costa, não havia liminar de desocupação.

(Sob supervisão de Evelin Araujo)

Jornal Midiamax