Brasil

Jovem de 22 anos denuncia Marco Feliciano por assédio sexual

Informações são de coluna do Uol

Henrique Kawaminami Publicado em 03/08/2016, às 13h41

None
marco-feliciadno-agenciacamara.jpg

Informações são de coluna do Uol

Uma militante do PSC (Partido Social Cristão), de 22 anos acusou o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) de assédio sexual, agressão grave e tentativa de estupro. A jovem frequenta a mesma igreja que o pastor, que teria se proposto a ser seu guia espiritual. O episódio teria acontecido na manhã do dia 15 de junho no apartamento funcional do parlamentar em Brasília.

A mulher relata para o repórter Leandro Mazzini da Coluna Esplana da Uol, que recebeu uma proposta de para ser amante de Feliciano, com alto salário e cargo comissionado no partido, porém com a negativa, o pastor a agrediu com um soco e tentou puxá-la pelo braço para a suíte. Com os lábios sangrando, ela conta que Feliciano ainda tentou beijá-la.  A jovem começou a gritar por socorro até que uma vizinha incomodada pelos gritos tocou a campainha da porta errada, e ela conseguiu se salvar.

Depois disso, ela o procurou em uma conversa pelo WhatsApp. Em um encontro há poucas semanas, segundo narrou, Feliciano pegou o seu celular à força e apagou todas as mensagens entre eles, mas ela conseguiu resgatá-las no ICloud de seu computador.

Segundo o Coluna Esplanada, funcionários do PSC confirmaram que o número era o mesmo usado pelo deputado, que trocou de telefone após o episódio. “Ele estava diferente, com os olhos vermelhos. Ele queria que eu terminasse com meu namorado e ficasse com ele”, relata a mulher.

A jovem se viu cercada pelas mais diversas pessoas com interesses não muito claros após denunciar o caso. Procurou ajuda de importantes nomes do PSC, que a mandaram ‘sumir’, diz ela.

Jovem de 22 anos denuncia Marco Feliciano por assédio sexual

Jovem de 22 anos denuncia Marco Feliciano por assédio sexual

Jovem de 22 anos denuncia Marco Feliciano por assédio sexual

Sumiço e ‘volta pra trás’

A jovem foi indicada para a reportagem por um professor, após término da matéria e toda a  polêmica, a militante saiu de Brasília no sábado, disse que precisava de um tempo ficando sem qualquer contato ou notícia até está terça-feira (2), quando voltou à cidade. Ela então gravou um vídeo de poucos segundos elogiando Feliciano e chamando o professor de mentiroso.

Confrontada pela Coluna, a garota tirou o vídeo do ar.

Respostas

A Coluna entrou em contato com Talma Bauer, assessor de Feliciano. Ele diz que não conhece a garota e não havia agenda para conversa com repórter sobre o caso. Avisado por e-mail para uma posição oficial do parlamentar,  não respondeu a mensagem enviada na manhã desta terça (2). Às 20h30 enviou uma nota oficial:

“Informo que desconheço tais acusações e as referidas mensagens postadas. Conheço a jovem por meio de sua participação no PSC, é uma grande lutadora contra o aborto e a favor das causas sociais. A conheço da mesma forma que conheço tantos outros jovens ao meu redor''.

“Tenho uma honra ilibada e tais acusações são descabidas. Respeito minha família, o povo brasileiro e principalmente minha fé! E peço que assim o façam! Assim eu encerro tal assunto, deixando nas mãos das autoridades''.

Há informações de que a garota tenta explicar sua versão para a imprensa. 

(Sob supervisão de Evelin Araujo)

Jornal Midiamax