Brasil

Sobe para 134 número de casos confirmados de dengue em SC

Relatório atualizado foi divulgado nesta quarta (18) pela Dive

Gerciane Alves Publicado em 19/02/2015, às 10h40

None
dengue.jpg

Relatório atualizado foi divulgado nesta quarta (18) pela Dive

O número de casos de dengue confirmados em Santa Catarina chegou a 134. O relatório atualizado foi divulgado nesta quarta-feira (18) pela Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica). Agora, são 109 casos contraídos no estado.

O município de Itajaí, na região do Vale, já tem 109 casos confirmados e 260 em análise. A cidade continua sendo o único local onde foi confirmada a infecção da doença dentro do próprio estado.

Itajaí decretou situação de emergência devido ao surto de dengue. O bairro São Vicente é considerado a região com maior concentração de casos confirmados no município.

Importados

Outras cidades que registraram casos, todos importados de outros estados ou países, são Araranguá e Braço do Norte, no Sul de Santa Catarina, Balneário Barra do Sul, Canoinhas, Guaramirim, Joinville e Três Barras, no Norte, Balneário Camboriú, no Litoral Norte, Blumenau e Brusque, no Vale do Itajaí, São José do Cedro e Xanxerê, no Oeste, além de Florianópolis e São José.

Com exceção de Blumenau, Brusque, Joinville e Florianópolis, que registraram dois casos cada, todos esses municípios tiveram um caso confirmado. O município de São José teve três casos.

Focos

No estado, há 1,5 mil focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite a doença. Os municípios que registram o maior número de focos são Chapecó (377) e São Miguel do Oeste (174), ambos no Oeste, Joinville (140), Balneário Camboriú (169), Itajaí (133), Xanxerê (94) e Xaxim (77), também ambos no Oeste, Nova Itaberaba (46) e Itapema (40), no Litoral Norte.

Prevenção

Conforme a gerente de zoonoses da Dive, Suzana Zeccer, cada município desenvolve medidas de prevenção para combates aos focos da dengue e conscientização da população.

Cidades do Litoral Norte catarinense, próximas a Itajaí buscam ações para combater a infestação do mosquisto Aedes Aegypti na região.

A gerente de zoonoses orienta sobre a importância da prevenção. O mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue, se reproduz em liocais de água parada e limpa.

Entre as recomendações da Dive estão: evitar usar pratos nos vasos de plantas ou colocar areia nas bordas; guardar garrafas e objetos que possam armazenar água, sempre com a abertura virada para baixo. Também é necessário manter as lixeiras tampadas, bem como as caixas d’água, plantas como bromélias, que acumulam água, devem ser evitadas.

Além disso, é importante tratar a água da piscina com cloro e limpá-la uma vez por semana, rolos devem ficar fechados e desentupidos. Os potes de comida e de água dos animais devem ser lavados com escova, ao menos uma vez por semana.

O acúmulo de lixo também deve ser evitado, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue.

Jornal Midiamax