Brasil

Renan diz que não é prudente analisar vetos presidenciais esta semana

Entre os vetos pendentes está o reajuste aos servidores do Judiciário

Guilherme Cavalcante Publicado em 13/10/2015, às 20h03

None
renan_.jpg

Entre os vetos pendentes está o reajuste aos servidores do Judiciário

O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje (13) que não é “prudente” fazer esta semana sessão conjunta para analisar os vetos da presidenta Dilma Rousseff a propostas que aumentam despesas do governo. Na semana passada, por falta de quórum na Câmara dos Deputados, por dois dias consecutivos, a sessão do Congresso que analisaria os vetos não pôde ser realizada.

“Eu não decidi ainda com relação à convocação [da sessão] do Congresso Nacional. O melhor é fazer a convocação do Congresso no tempo certo, sem pressa. Tivemos alguns problemas na apreciação de vetos. Não podemos repetir isso. Os vetos estão mantidos enquanto não forem apreciados. E quando você tira quórum de uma sessão deliberativa que está apreciando vetos, você geralmente o faz para impedir a sua rejeição”, disse, ao chegar ao Senado.

Entre os vetos pendentes está o que concede reajuste médio de 56% aos servidores do Judiciário. O projeto, vetado pela presidenta Dilma, prevê que as correções sejam escalonadas até 2019. De acordo com o Ministério do Planejamento, se aprovada, a proposta gerará despesa de R$ 5,3 bilhões em 2016. Em quatro anos, até 2019, o custo total será, segundo o governo, de R$ 36,2 bilhões.

Jornal Midiamax