Brasil

Políticos lamentam a morte do jurista e ex-ministro gaúcho Paulo Brossard

Brossard morreu na manhã deste domingo, aos 90 anos

Gerciane Alves Publicado em 12/04/2015, às 14h56

None
piratini.jpg

Brossard morreu na manhã deste domingo, aos 90 anos

O jurista e político gaúcho Paulo Brossard morreu na manhã deste domingo (12), aos 90 anos, em sua residência em Porto Alegre, e seu falecimento mobilizou diversos nomes da política, que se manifestaram pelas redes sociais. José Ivo Sartori, governador do Rio Grande do Sul, decretou luto de três dias no estado e a bandeira do Palácio Piratini está a meio mastro.

Em sua conta no Twitter, Sartori colocou o Palácio Piratini à disposição para as cerimônias. “O domingo começa com uma triste notícia. Lamento profundamente a morte de Paulo Brossard, um dos maiores juristas do Brasil. Perdemos um grande homem, um professor, um ferrenho opositor da Ditadura Militar, um político que fez história. Pela perda de Paulo Brossard, decreto luto de três dias no Estado e coloco o Palácio Piratini à disposição para as cerimônias de despedida”.

O senador Paulo Paim (PT-RS) também homenageou o jurista em sua conta no Twitter e definiu a perda como “inestimável” para a política. “Acabo de receber a notícia da morte do ex-ministro da República, ex-ministro do STF, ex-senador, o gaúcho Paulo Brossard de Souza Pinto. Paulo Brossard era maragato e libertador. Uma perda inestimável para a politica brasileira. Minhas condolências aos familiares e aos amigos”.

O deputado federal Nelson Marchezan Jr. (PSDB-RS) também se sensibilizou com a morte. “O Legislativo, o Judiciário e o Brasil estão de luto com a morte de Paulo Brossard, esta manhã, em Porto Alegre”.

O deputado federal Roberto Freire (PPS-SP) exaltou a carreira do político. “Morre Paulo Brossard! Grande brasileiro que se notabilizou para além do profissional de respeito, pelo democrata que foi. Nossos sentimentos”.

Jornal Midiamax