Brasil

Ministério Público Federal denuncia quatro ex-deputados na Lava Jato

Na lista estão 13 pessoas, entre elas quatro ex-deputados federais

Gerciane Alves Publicado em 15/05/2015, às 11h33

None
lava_jato.jpg

Na lista estão 13 pessoas, entre elas quatro ex-deputados federais

Para os procuradores do Ministério Público Federal que conduzem as investigações da Operação Lava Jato, chegou a vez de denunciar os políticos envolvidos nos esquemas de corrupção. Quatro ex-deputados foram denunciados.

Na lista estão 13 pessoas, entre elas, quatro ex-deputados federais: André Vargas, que era do PT e está sem partido; Luiz Argôlo, afastado do Solidariedade; Pedro Corrêa, ex-Partido Progressista; e a filha dele, a ex-deputada Aline Corrêa, também do PP. Todos são acusados de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

“Eu gostaria de dizer que hoje é um dia simbólico porque as acusações representam o começo do fechamento de um ciclo. Estamos ingressando pela primeira vez em um quarto núcleo, que é o núcleo dos agentes políticos”, diz Deltan Dallagnol, procurador do Ministério Público Federal.

André Vargas é acusado de desviar dinheiro de contratos de publicidade da Caixa Econômica Federal e do Ministério da Saúde. Pedro Corrêa e a filha Aline Corrêa, segundo as investigações, foram beneficiários de fraudes em contratos na diretoria de abastecimento da Petrobras e também ficavam com parte dos salários de servidores da Câmara Federal.

Os procuradores afirmaram que Luiz Argôlo também recebeu dinheiro de corrupção da estatal. O dinheiro seria repassado pelo doleiro Alberto Youssef.

Um ex-funcionário de Alberto Youssef também foi denunciado. Rafael Ângulo Lopes  já fez acordo de delação premiada e disse ter viajado à Brasília, Salvador e Recife para entregar propina a políticos.

Rafael contou que “pegava o dinheiro no cofre e escondia em suas pernas”, usando meiões de futebol. Os procuradores disseram que as investigações vão continuar avançando.

“Apenas parte dos executivos e parte das empresas foram objeto de acusação até hoje, operadores financeiros, outros funcionários públicos serão acusados no futuro e outros agentes políticos da mesma forma”, afirma o procurador Delton Dallagnol.

Os advogados de Rafael Lopes, Pedro Corrêa e Aline Corrêa disseram que ainda não tiveram acesso ao conteúdo da denúncia.

O Hora 1 não conseguiu localizar os advogados do ex-deputado Luiz Argôlo e de André Vargas.

Jornal Midiamax