Brasil

Menina que tinha coração invertido e que sonhava em ser atriz morre no PR

Daiane Aparecida de Souza tinha 15 anos e estava internada em Curitiba

Gerciane Alves Publicado em 14/06/2015, às 18h52

None
coracao_invertido.jpg

Daiane Aparecida de Souza tinha 15 anos e estava internada em Curitiba

A menina Daiane Aparecida de Souza, que tinha 15 anos e passou grande parte da vida internada por causa de um problema grave no coração, morreu por volta das 9h deste domingo (14) no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. Daiane nasceu com o lado do coração invertido (lado direito), além de outros órgãos também com o mesmo problema. Moradora de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, a adolescente sonhava em ser atriz.

De acordo com o Hospital Pequeno Príncipe, a morte da adolescente foi decorrente dos problemas cardíacos, além de uma deficiência imunológica que acabou ocasionando a falência respiratória.

A menina precisou ser internada no hospital com cinco dias de vida e só recebeu a primeira alta quando completou dois anos. Contudo, pouco tempo depois, ele passou mal e precisou retornar ao hospital. Dos quinze anos em que ela viveu, aproximadamente dois foram junto com a família. O restante foi no hospital.

Em outubro de 2013, Daiane contou em uma reportagem como era o seu dia a dia no hospital. Apesar de conviver com um problema grave, ela sempre conduziu a vida com alegria e otimismo.

No dia da primeira alta, a mãe de Daiane tentou fazer uma festa de aniversário, mas a adolescente passou mal e teve de voltar para o internamento. “A minha mãe fez uns dois mil docinhos, mais de mil salgadinhos, um bolo de 20 quilos, chamou 200 pessoas, até mesmo quem ela não conhecia. Na hora do parabéns, quando eu tava terminando de colocar as bexigas, eu passei mal e desmaiei. Tive que vir às pressas para o hospital”, contou a menina, à época, na reportagem.

O velório será na tarde deste domingo no Cemitério Memorial da Vida, em São José dos Pinhais. O sepultamento está marcado para as 8h30 de segunda (15), no crematório Jardim da Saudade, em Pinhais.

Jornal Midiamax