Brasil

Itamaraty localiza 60 brasileiros no Nepal após terremoto

Não há brasileiros entre mortos e feridos; número ainda pode crescer

Clayton Neves Publicado em 26/04/2015, às 17h51

None
nepalterremotortsnavesh-chitrakar02.jpg

Não há brasileiros entre mortos e feridos; número ainda pode crescer

Um dia depois do terremoto de 7,8 graus que atingiu o Nepal, deixando mais de 2 mil mortos, a Embaixada do Brasil conseguiu detectar 60 brasileiros no país asiático, entre moradores e turistas. Segundo o Itamaraty confirmou ao Terra , não há brasileiros mortos ou feridos entre as milhares de vítimas.

Ainda de acordo com o Itamaraty, o número de cidadãos brasileiros “não para de subir”, podendo ultrapassar os 60. A comunicação com o país atingido é bastante difícil, já que as redes de telefonia foram parcialmente destruídas pelo tremor.

A Embaixada conseguiu detectar os brasileiros que residem no Nepal através de informações de registro de moradia. Já aqueles que estão a turismo foram (e são) buscados em hotéis, por meio de agências de viagem e também por uma busca local. Familiares e amigos ainda repassam informações ao Ministério de Relações Exteriores.

Entre os países vizinhos ao Nepal que foram atingidos pelo tremor de ontem, como China, Índia e Bangladesh, também não foram registrados brasileiros entre desaparecidos, feridos ou mortos.

Caso Mariana 
Uma das brasileiras no Nepal foi dada como desaparecida durante horas neste sábado, depois de a família não conseguir contato. Mariana Malaguti, 26 anos, mora no país asiático e conseguiu escrever mensagem pelo Facebook na madrugada deste domingo, confirmando que estava bem.

A brasileira ainda pediu para que familiares e amigos “perdessem o medo”, afirmando que se encontra em uma pequena cidade, onde há poucas construções e nenhum prédio.

Serviço 
Para informações e apoio do Itamaraty, as famílias podem entrar em contato no plantão pelo número (61) 8197-2284.

Sobre o terremoto 
O terremoto de magnitude 7,8 que atingiu o Nepal deixou no sábado (25) provocou mais de 2 mil mortes e muitos danos materiais, causando também uma avalanche que soterrou um acampamento de alpinistas no Everest. O tremor, que teve seu epicentro a cerca de 80 quilômetros de Catmandu, ocorreu por volta do meio-dia local (03h11 de Brasília) e durou entre 30 segundos e dois minutos. Na capital nepalesa o terremoto derrubou edifícios, especialmente os antigos, incluídos templos e monumentos.

A torre Dharahara, uma importante atração turística, se transformou em escombros. Os efeitos do tremor chegaram até as montanhas do Himalaia e também na Índia e na China, onde provocaram a queda de edifícios e a morte de dezenas de pessoas, de acordo com autoridades locais. Foram registradas dezenas de réplicas do terremoto, entre 4,2 e 6,7 graus.

Jornal Midiamax