Brasil

Confira: 2015 terá o dobro de feriados prolongados em relação a 2014

Ao todo serão dez feriados nacionais; na Capital, dia de aniversário será quarta-feira

Gerciane Alves Publicado em 01/01/2015, às 13h27

None
feriado_-_mj.jpg

Ao todo serão dez feriados nacionais; na Capital, dia de aniversário será quarta-feira

Se 2014 foi injusto na distribuição dos feriados, deixando o segundo semestre do ano com três deles seguidos no domingo, 2015 promete ser mais  generoso. O ano que começa nesta quinta (1º) terá dez feriados nacionais, o dobro em relação a 2014.

São dez nacionais ao todo, começando com a Confraternização Universal, neste dia 1º. Depois tem Carnaval, Páscoa, Tiradentes, Dia do Trabalhador, Corpus Christi, Independência, Nossa Senhora Aparecida, Finados e Natal. Sem contar os feriados municipais e estaduais.

Em Campo Grande, o primeiro feriado municipal do ano não vai animar muita gente, já que cairá no sábado. Será o dia 13 de junho, Dia de Santo Antônio, o padroeiro da Capital.

Mas, se serve de consolo, o próximo feriado será o do dia 26 de agosto. O aniversário de Campo Grande será comemorado em plena quarta-feira.

Falando em aniversário, os 38 anos de Mato Grosso do Sul em 2015 serão comemorados no domingo, dia 11 de outubro, mas logo em seguida o país todo pode se alegrar com o feriado do dia de Nossa Senhora Aparecida (12), padroeira do Brasil, onde também é comemorado o dia das crianças.

Três dessas datas – 7 de setembro, 12 de outubro e 2 de novembro – caíram no domingo em 2014, passando despercebidas pela população. Em 2015, esses feriados caem na segunda-feira, o que ajuda a inflar a conta.

Para o economista Marcel Solineo, das ACSP ( Associação Comercial de São Paulo), o alto número de feriadões deve ter impacto negativo para o comércio, especialmente na capital paulista.

“Acaba afetando as vendas pelo fato de que grande número de pessoas deixam a cidade para outras localidades, seja praia, interior ou mesmo exterior. Com isso, você esvazia de certa forma as vendas do comércio local.”

No caso dos supermercados, o economista vê um efeito pequeno, “porque muitas pessoas, ao viajar, primeiro fazem o seu suprimento de alimentos.”

Solineo lembra que o saldo acaba sendo positivo para as cidades turísticas, que ficam mais movimentadas.

“Mas esses feriados prolongados têm um impacto negativo na economia como um todo, porque também afetam a produção industrial e os serviços”, afirma o economista.

Há, no entanto, quem veja 2015 e sua extensa lista de feriadões com boa expectativa. O presidente da ABAV ( Associação Brasileira de Agências de Viagens), Antônia Azevedo, afirma que a demanda por viagens em um feriado prolongado costuma aumentar de 8% a 14% comparado a feriados isolados.

“Esses feriados ajudam muito, as pessoas se animam em viajar nem que seja para algum lugar mais perto”, diz Azevedo.

Jornal Midiamax