O ex-piloto Nelson Piquet se desculpou após usar um termo racista ao se referir a Lewis Hamilton, piloto da Mercedes. Em comunicado enviado à imprensa hoje, o brasileiro disse que não teve intenção de ofender o britânico.

“O que eu disse foi mal pensado, e eu não vou me defender por isso, mas eu vou deixar claro que o termo é um daqueles largamente e historicamente usados de forma coloquial no português brasileiro como sinônimo de ‘cara’ ou ‘pessoa’ e nunca com intenção de ofender. Eu nunca usaria a palavra que estou sendo acusado em algumas traduções.:

“Vamos focar em mudar a mentalidade”, escreveu Hamilton no Twitter.

O piloto inglês continuou sua resposta e disse que a mentalidade de Piquet é arcaica.

“É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e alvo de minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação”, acrescentou o piloto inglês.

O que Nelson Piquet disse?
Em vídeo de entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira, em novembro de 2021, Piquet chama Hamilton de “neguinho” ao comparar os acidentes envolvendo Ayrton Senna e Alain Prost, em 1990, na largada do GP do Japão, e o que ocorreu 31 anos depois, no GP da Inglaterra. O trecho da entrevista foi publicado pelo canal Enerto, especializado em automobilismo, e repercutiu nas redes, com críticas ao tricampeão, que teve a fala apontada como racista (veja abaixo). O termo quando usado de maneira pejorativa ou com a intenção de ofender é considerado racista.

“O neguinho [Lewis Hamilton] meteu o carro e não deixou [desviar]. O Senna não fez isso. O Senna saiu reto. O neguinho meteu o carro e não deixou [Verstappen desviar]. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro Verstappen] se fodeu. Fez uma puta sacanagem”, afirmou o tricampeão mundial.

Foto : Reprodução