Le Blog Maria Antonia

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

Ele não faz pinturas ou esculturas. Para se expressar, o artista prefere um meio mais temporário, mas absolutamente belo: uma praia com a maré baixa. Ele usa um ancinho (ferramenta de jardinagem) para criar obras de arte que chegam a ter mais de 9.000 m2. Andres passa horas criando estas complexas obras de arte na […]

Maria Antonia Naegele Publicado em 16/11/2020, às 10h03

None

Ele não faz pinturas ou esculturas. Para se expressar, o artista prefere um meio mais temporário, mas absolutamente belo: uma praia com a maré baixa. Ele usa um ancinho (ferramenta de jardinagem) para criar obras de arte que chegam a ter mais de 9.000 m2.

Andres passa horas criando estas complexas obras de arte na praia, mesmo sabendo que a maré logo irá subir e levar seu trabalho para sempre.

Ele constrói essas imagens nas areias das praias e, ao fim, espera que a água, o tempo, e o vento as desfaça. Poesia pura!

Fotos : Reprodução

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

A arte encantadora e efêmera do artista plástico Andres Amador.

Jornal Midiamax