Guarda envolvido em acidente que matou militar do Exército foi preso por colegas no hospital

Preso em flagrante no início da tarde desta sexta-feira (25), o guarda municipal de 32 anos envolvido no acidente que provocou a morte de Fernando Pereira da Silva Filho, 20 anos, foi detido no hospital. Ele procurou uma unidade para receber atendimento e foi preso por colegas de serviço. Segundo as informações apuradas pelo Midiamax, […]

Renata Portela Publicado em 25/09/2020, às 17h46 - Atualizado em 26/09/2020, às 08h57

Militar do Exército morreu no local do acidente (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - Militar do Exército morreu no local do acidente (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Preso em flagrante no início da tarde desta sexta-feira (25), o guarda municipal de 32 anos envolvido no acidente que provocou a morte de Fernando Pereira da Silva Filho, 20 anos, foi detido no hospital. Ele procurou uma unidade para receber atendimento e foi preso por colegas de serviço.

Segundo as informações apuradas pelo Midiamax, após o acidente o guarda municipal que conduzia o Celta foi até a Clínica Campo Grande, onde recebeu atendimento. Ele também teria realizado o teste de alcoolemia, que não constatou embriaguez.

Ainda na unidade, outros guardas municipais fizeram a detenção do colega e o levaram para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário). Assim, foi elaborado o flagrante e o guarda também prestou depoimento sobre o caso. Em seguida, ficou sob custódia da GCM (Guarda Civil Metropolitana).

Mesmo assim, ele deve passar por audiência de custódia na segunda-feira. O guarda irá responder pelo homicídio culposo, com aumento de pena pela omissão de socorro.

O acidente

(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Fernando Pereira, militar do Exército, conduzia a motocicleta Honda Titan vermelha, pela Avenida Prefeito Heráclito Diniz, quando aconteceu o acidente. Assim, o condutor do Celta prata, que estava estacionado, foi sair com o carro para dar o ‘balão’ na avenida.

Neste momento, o motociclista atingiu a lateral do Celta e caiu na avenida, em estado grave. Uma testemunha ainda foi atrás de uma equipe dos bombeiros, que estava nas proximidades.

Mesmo assim, a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Perícia e Polícia Civil também foram acionados, além da Polícia Militar de Trânsito.

Polícia Civil Polícia Militar Homicídio Motociclista SAMU GCM Omissão de Socorro Audiência de Custódia Homicídio Culposo polic1