Categorias: Polícia

Esposa de juiz denunciado por corrupção é condenada por golpe de estelionato milionário

Foi publicada no Diário da Justiça desta quarta-feira (28), a condenação de quatro pessoas por aplicarem um golpe milionário em um morador no Rio de Janeiro. Entre os réus, está a advogada Emmanuelle Alves Ferreira da Silva, agora condenada por estelionato. Conforme a decisão, Emmanuelle foi condenada a 3 anos e 6 meses de reclusão […]

Publicado por
Arquivo
Compartilhar

Foi publicada no Diário da Justiça desta quarta-feira (28), a condenação de quatro pessoas por aplicarem um golpe milionário em um morador no Rio de Janeiro. Entre os réus, está a advogada Emmanuelle Alves Ferreira da Silva, agora condenada por estelionato.

Conforme a decisão, Emmanuelle foi condenada a 3 anos e 6 meses de reclusão e 35 dias-multa pela prática de estelionato. Também foram condenados pela participação no golpe o trio José Geraldo Tadeu de Oliveira, a 7 anos e 10 meses de reclusão, Ronei de Oliveira Pécora a 3 anos e 3 meses e 20 dias de reclusão e Delcinei de Souza Custódio, a 1 ano e 8 meses de reclusão.

Apesar da condenação, a advogada foi absolvida das acusações de omissão e falsificação de documento público, falsidade ideológica e organização criminosa.

Golpe milionário

Emmanuelle, José, Ronei e Delcinei são acusados de aplicarem golpe de R$ 5,3 milhões em um aposentado do Rio de Janeiro durante negociação de uma propriedade rural. A princípio, eles teriam falsificado uma assinatura do engenheiro aposentado para convencer a justiça a confiscar o valor da vítima, sendo que o dinheiro acabou liberado a partir do documento apresentado.

Na época, o juiz explicou que foi vítima dos golpistas e então, determinou o bloqueio do dinheiro, que já tinha sido sacado em parte pela quadrilha. Com isso, a advogada chegou a alegar que foi enganada pelo trio e devolveu o valor, o que seria parte de estratégia para se livrar da denúncia.

Marido denunciado

No início de maio o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior, da 5ª Vara de Família e Sucessões de Campo Grande, que atualmente está afastado pelo (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), foi denunciado por quatro crimes. A denúncia aponta que o magistrado praticou corrupção passiva, falsidade ideológica, corrupção ativa de testemunha e .

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, além do juiz Aldo, há também advogados que foram denunciados no mesmo processo, por atuarem em conluio no esquema de corrupção, descrito pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) como um ‘balcão de negócios’. Entre os advogados, está a esposa de Aldo, Emmanuelle

Jornal Midiamax

Esta notícia foi publicada em 29 de julho de 2020 13:59

Publicado por
Arquivo